Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades.

Ao se inscrever na nossa Newsletter, você consente com o armazenamento dos seus dados pessoais por nós, para que possamos futuramente lhe encaminhar informações que possam ser do seu interesse. Seus dados não serão divididos com outras empresas.

Alteração nas Regras de Comércio Internacional

Pesquisa
Categorias
Palavras Chave
Compartilhe esta publicação

17 de junho de 2019

Por

Em 06 e 07 de junho de 2019, o Conselho da Justiça Federal recebeu a III Jornada de Direito Comercial, em que se debateram e votaram 358 enunciados: interpretações de normas e leis, propostas por juristas de todo o Brasil. Embora os enunciados não sejam vinculantes, possuem um peso relevante na prática judicial e costumam representar as tendências do ordenamento brasileiro. Dos 34 enunciados aprovados nesta edição, dois possuem impactos relevantes para operações que envolvam compra e venda internacional.

De autoria de nosso colaborador Klaus Rilke, o primeiro é o Enunciado 89, que esclarece a aplicação automática da Convenção das Nações Unidas sobre Contratos de Compra e Venda Internacional de Mercadorias (CISG, incorporada ao direito brasileiro em 2014 por meio do Decreto 8.327) sobre o comércio de bens híbridos ou inteligentes – ou seja, máquinas e produtos dotados de capacidade informática/digital, que necessitem de software para funcionamento e/ou que estejam embutidos com compatibilidade para sistemas de internet of things (IoT). Mesmo nos casos em que a aquisição dependa e/ou esteja acompanhada de serviços acessórios, o negócio como um todo se sujeita as regras da CISG, que em princípio proporcionam um ambiente de maior estabilidade contratual e uniformidade.

Por sua vez, o Enunciado 90 lembra a necessidade de atenção à jurisprudência e doutrina nacionais na aplicação da CISG, a fim de garantir maior uniformidade no plano internacional – sem prejuízo da ainda escassa jurisprudência nacional específica sobre a Convenção. É importante a familiaridade com a prática e com a vasta literatura sobre o tema, especialmente por muitos conceitos inerentes à CISG serem inspirados em legislações e tradições distintas da brasileira.

Em parte por ter sido ratificada a pouco tempo, a Convenção ainda é pouco conhecida no mercado e na indústria – mas não deixa de ser aplicável mesmo em casos em que eventual contrato se refira à lei nacional de um país signatário. A quantia de operações sujeitas a suas regras é considerável e eventual inadequação representa um risco que muitas vezes é desnecessário e pode ser resolvido com pequenos ajustes e/ou treinamento pontual de colaboradores-chave.

Pesquisa
Categorias
Palavras Chave
Compartilhe esta publicação