Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades.

Ao se inscrever na nossa Newsletter, você consente com o armazenamento dos seus dados pessoais por nós, para que possamos futuramente lhe encaminhar informações que possam ser do seu interesse. Seus dados não serão divididos com outras empresas.

Alterações nas regras para indicação de beneficiário final à Receita Federal – Prorrogação de prazo (IN 1.863/2018).

Pesquisa
Categorias
Compartilhe esta publicação

3 de janeiro de 2019

Por

Felipe Hannickel Souza, Mariana Boéchat Gonzalez, Ana Lucia de Campos Maia Snége, Priscila Scisci Scola e João Leandro Pereira

No dia 28 de dezembro de 2018 foi publicada, no Diário Oficial da União, a Instrução Normativa da Receita Federal do Brasil nº 1.863/2018 (“IN 1.863/2018”), revogando, dentre outras, o texto da IN nº 1.634/2016, que tratava do prazo e das regras para indicação do beneficiário final pelas entidades inscritas no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), que exercem atividades no Brasil.

Considera-se beneficiário final a pessoa natural que, em última instância, de forma direta ou indireta, possui, controla ou influencia significativamente a entidade ou a pessoa natural em nome da qual uma transação é conduzida. Ademais, presume-se influência significativa quando a pessoa natural i) detém mais de 25% do capital social da sociedade; ou ii) exerce a preponderância de votos nas deliberações sociais; ou iii) elege a maioria dos administradores, ainda que não possua o controle.

Dentre as principais mudanças abarcadas pela IN 1.863/2018 consta a prorrogação do prazo para indicação do beneficiário final (ou de sua inexistência) em 180 (cento e oitenta) dias a contar da sua publicação, sob pena de suspensão da inscrição do CNPJ das referidas entidades empresariais, incluindo clubes e fundos de investimento e sociedades em conta de participação. O novo prazo estabelecido para indicação do beneficiário final das entidades (nacionais ou estrangeiras) já inscritas no CNPJ é 26 de junho de 2019.

Vale ressaltar que a suspensão de CNPJ impede a realização de determinadas operações com estabelecimentos bancários, incluindo a movimentação de conta corrente e aplicações financeiras, e a obtenção de empréstimos. Para as entidades domiciliadas no exterior que obtiverem o CNPJ a partir da publicação da IN 1.863/2018, vale o prazo de 90 (noventa) dias do cadastro para a indicação do beneficiário final.

Para qualquer auxílio acerca das medidas a serem adotadas neste processo de regularização, os advogados da equipe de Direito Societário do escritório Salusse, Marangoni, Parente e Jabur Advogados estão à sua disposição (Felipe Hannickel SouzaMariana Boéchat Gonzalez, Ana Lucia de Campos Maia SnégePriscila Scisci Scolaou João Leandro Pereira Chaves, nos e-mails [email protected][email protected][email protected][email protected] e [email protected] ou pelo tel.: (11) 3146-2412).

Pesquisa
Categorias
Compartilhe esta publicação